Neste artigo, abordaremos o que é Ethereum, como negociá-la e a tecnologia por trás da plataforma. 

Ethereum é uma plataforma criptomoeda como o Bitcoin, que utiliza da prova de trabalho (proof of work) para adicionar blocos ao blockchain. Além disso, ela possibilita formas de efetuar pagamentos.  

O que é o Ethereum? 

É a segunda maior criptomoeda, ficando atrás do Bitcoin, e foi criada por Vitalik Buterin. Além de ser um ativo digital, os desenvolvedores podem usar o poder de computação descentralizado para criar aplicativos. 

Dentro da ETH existe o que chamamos de contratos inteligentes. Os mineradores, por meio de uma taxa, alugam seus recursos para desenvolvedores, que efetuam o pagamento por meio do Éter, principal moeda da plataforma. 

Existem muitos nós na blockchain Ethereum. É a criptomoeda mais descentralizada que existe. Há muito poder de computação disponível para os desenvolvedores criarem aplicativos descentralizados ou dApps.

A oferta inicial (ICO) de Ethereum levantou US $18 milhões em 2014. Ela está ativa desde 2015.

A diferença entre Bitcoin e Ethereum

Bitcoin é apenas um protocolo de pagamento. Investidores e negociantes (traders) podem vender ou comprar bitcoin para comprar bens ou serviços, ou podem negociar e investir moedas para obter retornos de curto ou longo prazo.

O Ethereum pode fazer o mesmo, mas seu potencial está no uso de contratos inteligentes para o desenvolvimento de aplicativos. Embora a forma de negociação do Ethereum seja semelhante ao Bitcoin.

Bitcoin usa o método de mineração de prova de trabalho. Os mineradores usam seu hardware dedicado para resolver problemas complexos para adicionar mais blocos ao blockchain. Isso requer muitos recursos, ou seja, gasto energético devido ao hardware.

Eles recebem moedas como recompensa, dependendo de quão complexo for o problema. Muitas empresas e indivíduos criaram fazendas de mineração para tirar o máximo do método da prova de trabalho.

O Ethereum, por outro lado, em breve implementará o método de prova de participação (proof of stake) para a mineração. Ele não requer nenhum hardware dedicado porque é virtual. Existem validadores no lugar de mineradores. Os validadores precisam colocar parte de sua moeda Ethereum (éter) como uma participação, desse modo apostando se um bloco será validado e adicionado ao blockchain.

Quando um validador aposta em um bloco válido, eles são recompensados com base na quantidade de ether que investiram nesse bloco.

Por enquanto, o Ethereum usará principalmente a prova de trabalho, mas a cada 100 transações será uma prova de participação. Os validadores escolhem em quais blocos apostar, reduzindo assim o custo envolvido na adição de mais blocos à cadeia.

Além disso, os validadores colocam seu próprio ether, reduzindo as chances de um validador escolher um bloco malicioso. Isso elimina as chances de um ataque em 51%, onde um único grupo possui a maior parte do poder de hash do mundo.

O que são contratos inteligentes?

Nick Szabo cunhou o termo de “contratos inteligentes” em 1994. Contratos inteligentes são programas que os desenvolvedores escrevem em uma blockchain. Eles não são essenciais para aprender a negociar Ethereum, mas desenvolvedores e empresas podem usar esses programas para definir obrigações contratuais entre as partes.

Ele é executado em blockchain, onde os validadores verificam suas instruções e condições, e estes são aceitos ou rejeitados através dos “nós” na plataforma.

Além disso, esses contratos, uma vez executados, não podem ser editados ou revertidos. Isso significa que desenvolvedores e empresas só precisam escrever o programa, e ele valida e executa por si só.

Por exemplo, se um inquilino assinar um contrato de aluguel usando um contrato inteligente, ele precisa cumprir as condições estabelecidas por ele. Estes podem ser classificação de crédito ou renda mensal. Se cumprirem estas condições estabelecidas pela agência ou senhorio, poderão assinar o contrato de arrendamento.

Todo o processo está no blockchain, então não haveria longos tempos de espera para aprovação de um sistema centralizado, como um banco.

Os desenvolvedores usam uma linguagem de programação chamada solidez (solidity). Baseia-se na lógica IFTTT, que segue a ordem de instruções IF-THIS-THEN-THAT.

Para ilustrar, se o inquilino tiver renda mensal suficiente, então o contrato inteligente pode verificar a classificação de crédito do inquilino. Se isso for verificado, o acordo é válido. Os desenvolvedores podem adicionar muitas instruções ou condições a essa lógica. O contrato inteligente irá validá-los e executá-los até o final do contrato.

O que é o Ether?

Ether é a principal moeda do Ethereum. Ela é usada como modo de pagamento, reserva de valor, recompensa para os mineradores e aposta para validadores no futuro. É importante conhecer o Ether se você quiser saber como negociar o Ethereum.

O Ether é uma moeda descentralizada (não fiduciária). Portanto, uma única instituição ou economia não pode controlá-la.

Ao contrário dos mercados de ações tradicionais, os mercados cripto não têm horários de fechamento para negociação. Eles permanecem abertos 24 horas durante todos os dias,  porque há centenas de exchanges que permitem negociação e investimento nos ativos digitais. 

As criptomoedas são voláteis nas exchanges. Eles encontram flutuações diárias de preços, oferecendo assim uma oportunidade para os day traders receberem retornos de curto prazo em suas moedas.

Contratos inteligentes também usam Ether para atender às condições contratuais. Desenvolvedores ou empresas que criam contratos inteligentes precisam pagar taxas de gás para executar suas condições ou instruções. Eles estabeleceram um limite de gás antes de submeter o contrato aos mineiros. Se o limite de gás não for suficiente para pagar o contrato, ele cancela todas as instruções anteriores, e o desenvolvedor precisa pagar as taxas de gás dos mineradores.

Além disso, os desenvolvedores estabelecem um limite de gás, mas seu código (instruções e condições) pode exigir mais poder de computação do que eles previam, para que os mineradores possam rejeitar seu contrato ou passá-lo. 

Como negociar ethereum

Como na maioria das criptomoedas, traders e investidores podem usar duas estratégias gerais de negociação. São posições de longo prazo chamadas de holding, e posições de curto prazo chamadas de negociação ativa. Cada uma tem suas vantagens e desvantagens, mas com  potencial de fornecer aos investidores e comerciantes  retornos significativos sobre o investimento.

1. Holding

Os investidores que aprendem a negociar o Ethereum podem usar uma estratégia de retenção (holding). Traders e investidores compram moedas (geralmente Bitcoin ou Ether) e esperam que elas aumentem de valor por um período mais longo. Eles trabalham na suposição de que os valores das moedas irão subir, proporcionando-lhes retornos de longo prazo.

Holding economiza tempo e esforço. Os investidores não precisam realizar muita pesquisa sobre a bolsa que usam ou as tendências do mercado. Isso porque eles não estão preocupados com aumentos ou quedas diárias de preços.

Outra vantagem é que investidores e negociantes não precisam pagar taxas pesadas para a realização de negociações. Isso significa que eles pagam por ter suas moedas na bolsa e taxas de transação ao sair do mercado.

Uma grande desvantagem desse método de investimento é que não é possível obter retornos sobre as flutuações de preços de curto prazo.

Os investidores precisam pesquisar as moedas apropriadas para investir, pois toda a sua participação é baseada no desempenho de longo prazo da moeda. Eles não precisam pesquisar detalhes minuciosos, mas devem pelo menos escolher uma criptomoeda de tendência respeitável e ascendente (Ether ou Bitcoin).

Investidores e traders precisam saber quando sair do mercado para maximizar seus lucros. Eles precisam determinar quando vender, como vender e quanto vender, dependendo da moeda.

2. Negociação ativa

Investidores e traders que sabem negociar Ethereum e outras criptomoedas podem usar a negociação ativa. Eles precisam saber como analisar e monitorar trocas de criptomoedas e criptomoedas individuais. Eles tentam lucrar com flutuações voláteis de preços vendendo ou comprando as moedas.

Portanto, investidores e traders precisam saber negociar o Ethereum durante os movimentos de preços e tendências de mercado. Eles também precisam prestar atenção aos ciclos de mercado para garantir o retorno ideal do investimento.

Os retornos de curto prazo são uma clara vantagem para os traders. Devido à natureza volátil das criptomoedas, eles poderiam ver grandes lucros em questão de dias ou semanas. Eles podem vender suas moedas, o que implica emprestá-las para uma corretora e vendê-las imediatamente. Eles então compram de volta as moedas a um preço mais baixo e as devolvem à corretora. O trader embolsa a diferença.

Eles também poderiam comprar moedas quando o mercado está em uma tendência de queda e vendê-las quando o mercado está em tendência de alta novamente. O valor da moeda aumenta durante a tendência de alta, de modo que o trader lucra com o aumento de preço.

Conclusão

O Ethereum é uma plataforma cripto que funciona como um protocolo de pagamento e como uma tecnologia descentralizada com a capacidade de alimentar aplicações de software virtualmente.

Ele tem o maior número de nós de qualquer plataforma cripto, o que significa que desenvolvedores e empresas podem alugar recursos poderosos diretamente da blockchain com a implementação de contratos inteligentes.

Finalmente, os traders precisam aprender a negociar o Ethereum empregando uma estratégia de negociação ativa ou de holding.